NOS Alive + EDP + IADE-U

 

Todas as fotos por Gonçalo Almeida. Vejam o trabalho dele no Instagram (Link no Nome).

Já tem algum tempo que não escrevo nada nesta secção do site, não tenho tido propriamente material para entrevistas e a minha tese de mestrado anda a tirar-me do sério (no bom sentido claro). O que tem surgido nas ultimas semanas foi uma espécie de “debut” oficial das minhas capacidades de artista urbano. Foi realizado através do IADE-Creative University um convite da EDP para personalizar os caixotes do lixo do NOS Alive, foram escolhidos cerca de 20 participantes cujo o desafio era literalmente fazer do lixo uma coisa não tão nojenta. Escusado será dizer que é quase impossível transformar um caixote do lixo num objecto “não nojento”, já porque a nossa percepção visual e compreensão do objecto nos obriga a liga-lo a algo desagradável.

Para mim foi a verdadeira estreia no mundo do “Stencil” (em bom português mascara), é uma técnica a qual eu ligo uma enorme complexidade de execução, dependendo do tamanho e da quantidade de layers que o trabalho possua, embora os resultados finais sejam geniais.

img_8362

Aplicação da cor base.

IMG_8540.JPG

Aplicação de Textura.

O melhor exemplo que tenho da aplicação de “stencil art” a nível nacional é o EIME cujos trabalhos são monumentalmente espetaculares e SAMINA que também é um artista brutal, eu podia estar aqui a desbobinar nomes como “Blek le Rat”, C215, Banksy, Czarnobyl entre outros, mas acho que é importante valorizar o que é nosso e minhas senhoras e meus senhores, quem vê o trabalho destes “sócios” aí por Lisboa é de ficar com o cérebro em êxtase com tamanha grandiosidade.

IMG_8600.JPGAplicação Stencil J.Tito Gouveia.

O que interessa é que o trabalho foi feito, os resultados muito satisfatórios de modo geral, tanto para mim como para os meus colegas concorrentes e agora é esperar para ver, aguardar as reações.

Para quem for ao NOS Alive e quiser partilhar fotos do meu caixote pode fazê-lo com o #hashtag abaixo indicado.

hashtag_jtitogouveia

E gostava tambem de felicitar a EDP por se juntar com o IADE-U e facultar estas oportunidades a uma nova geração de ilustradores e criativos.

IMG_8552.JPG

 Stencil finalizado, sem QUOTES nas laterais.

Anúncios

Cpt. Neto

 

(We Apologize but Portuguese content only…)

“El Capitão Neto” by J.Tito Gouveia

(http://cargocollective.com/joaoneto)

Fuel TV Logo Cpt.Neto Custom - ph: Unknown
Fuel TV Logo Cpt.Neto Custom – ph: Unknown

Em entrevista com o Capitão Neto…

    De muitos amigos que possa ter há alguns que se destacam “profissionalmente” com uma pinta do caraças. O Cpt.Neto (João Neto) sempre foi um personagem que me intrigou bastante, já desde a nossas primeiras conversas que lhe senti um espirito que só me lembrava os meus caros amigos Tiago Perestrelo e Frederico Bayntun, isto porque são poucas as pessoas com quem partilhamos palavras que nos levam a ser verdadeiramente criativos, é algo estranho. Explicando isto metaforicamente é como se no meio da conversa nos fossem tirando aos poucos a forte vontade que temos em estar colados ao sofá a fingir que somos umas Batatas a ver Televisão.

    Então armei-me em entrevistador e propus cinco perguntas ao Cpt.Neto, que felizmente não me mandou comer palha e respondeu a todas, basicamente quis averiguar de forma escrita o que poderia ele partilhar de si para o mundo, porque meus caros amigos e amigas a sabedoria partilha-se com anos de vida e não é preciso ter-se assim tantos.

    Para mais não o Cpt.Neto prepara-se agora para lançar a sua primeira exposição individual, que tendo em conta aquilo que conheço de todo o trabalho que tem feito e amealhado, acho que quando esta exposição abrir portas ao publico vai ser tipo a Baixa nos Saldos, com as manadas de interessados que vai atrair.

Fusing Cultural Experience - ph:Miguel Castro Oliveira
Fusing Cultural Experience – ph:Miguel Castro Oliveira

Entrevista.

Se tivesses que fazer um Top 5 dos teus trabalhos quais seriam?

“Em primeiro lugar seria sem dúvida a “Thousand Words Campaign” da Ementa SB. Não só por ter sido feita entre amigos e diversão durante todo o processo, mas também porque foi a primeira vez que fiz um gráfico para uma tábua de skate com assinatura de artista e que depois seguiu para o mercado.

Em segundo seria a instalação que fiz em conjunto com o David Cabrita para o Cons Project Lisboa. Foi muito trabalho que valeu a pena e toda a gente com quem trabalhámos eram 5 estrelas.

Em terceiro foi o vidro que pintei juntamente com o Gemeniano Cruz durante o Sagres Surf Culture.

Em quarto foi o Kayak que pintei durante o festival Fusing na Figueira da Foz.

E em quinto, mas não menos importante foi a customização do logo da Fuel TV.”

“A Thousand Word Campaign” Ementa SB – ph: Nuno Capela

De onde surgiu o mítico Capitão Neto?

“Na altura em que decidi começar a divulgar os meus trabalhos enquanto ilustrador pensei num nome engraçado, um bocado seguindo o exemplo de outros como “Mariana a Miserável”, “Wasted Rita”, “Add Fuel” e tanto outros. Na altura achei que fazia sentido ter um nome que fosse chamativo e que de alguma forma representasse o estilo de trabalho que iria fazer. Hoje em dia já não assino como Capitão Neto porque quero levar o meu trabalho para além da ilustração e acho que faz mais sentido usar o meu nome próprio. Mas foi um nome que pegou e ainda hoje acho piada.”

Dada a oportunidade trabalharias para uma Agência?

Não é um dos meus objectivos principais trabalhar numa agência, mas não é uma hipotése que esteja fora da mesa. Avaliando a oportunidade e o momento, se fosse positivo para mim trabalhar numa agência, obviamente que trabalharia.

Que futuro prevês para os criativos no panorama Nacional?

Não sei se serei a pessoa indicada para falar em futuro, mas actualmente o panorama criativo nacional está de boa saúde e recomenda-se. Principalmente em areas artísticas como a arte urbana e a ilustração, e isso deve-se ao trabalho criativo não só dos artistas mas também das plataformas que os divulgam como é o exemplo da Mistake Maker.

De que maneira achas que a tua ligação com o Surf influencia o teu trabalho?

De muita maneira. Nem que seja só para fazer exercício físico e oxigenar o cérebro.

Mas o surf, estando tão envolvido dentro dessa cultura, é algo que gosto de abordar nos meus trabalhos, se bem que nos trabalhos pessoais hoje em dia já muito raramente o faça. Encontro muito mais interesse em mais coisas do que o surf para trabalhar.

Mas a indústria do surf e do skate é sem dúvida um dos meus maiores interesses e que gostaria de trabalhar enquanto criativo.

Cons Project @ Lisbon - ph:Ricardo Miguel Vieira
Cons Project @ Lisbon – ph:Ricardo Miguel Vieira

Exposição “VIMES” por Tiago Perestrelo.


Nestes próximos tempos no panorama cultural, estou a recomendar uma exposição por Tiago Perestrelo, na Casa da Cultura de Santa Cruz (Madeira). Uma mostra onde o fotografo Madeirense desenvolve um projecto sobre as raízes da sua terra e uma das mais antigas artes populares madeirenses.

News: On the cultural page I’m recommending an exhibition by Tiago Perestrelo in the House of Culture of Santa Cruz (Madeira Island). A show where the Madeiran photographer builds a project about the roots of his homeland and one of the ancient popular madeiran crafts.

Tiago Perestrelo Portfolio